NIP's turma 3

Atuarquitetura

 

EMPREENDEDORA: Patricia Barbosa Monteiro

RESUMO DA SOLUÇÃO:   Negócio de construção e reforma que atua na periferia noroeste de São Paulo, a Atuarquitetura foi fundada por Patrícia Barbosa Monteiro. A proposta é oferecer projetos de arquitetura e assessoria na execução de obras para residências e pequenos negócios, com objetivo de gerar economia, segurança e qualidade de vida.

Patricia Barbosa:
Arquiteta, formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, foi bolsista no Instituto Politécnico de Torino – Itália, atualmente é graduanda em Gestão de Negócios e Inovação pela Fatec Sebrae. Residente em Perus, noroeste de São Paulo, desde 1996. Atuante no território no campo do Patrimônio Histórico, em 2017 iniciou atividades na área de habitação com o escritório, Atuarquitetura, na busca por gerar mudanças na qualidade de vida dos moradores no território em que reside.

Logo Clinfy
50799495_232248514353049_140225476714037

 

Clinfy

EMPREENDEDORA: Kedma Gomes Delmondes

RESUMO DA SOLUÇÃO: Negócio de impacto social na área da saúde, a Clinfy foi fundada em 2018 por Kedma Gomes Delmondes. Tem como foco atual de atuação oferecer uma melhor experiência na hora de contratar um profissional da área de saúde (cuidadores, babás e enfermeiros). A empreendedora ainda vislumbra - através de site e aplicativo - fazer o processo de contratação ser ainda mais simples e ágil. Também planeja levar acessibilidade na área da saúde em outros eixos de atuação como: tradução de receitas e guias médicas; pesquisa de medicamentos mais baratos de acordo com a região; envio de lembretes para uso de medicamentos; e monitoramento dos batimentos cardíacos e localização (em caso de desaparecimento) por meio de uma pulseira.

MINI PERFIL: 

Nasci na periferia e sempre senti de perto as consequências da ausência do poder público, e vi no empreendedorismo a possibilidade de mudar a minha realidade e da comunidade onde moro.  

Trabalho com desenvolvimento de projetos sociais há muitos anos, em uma ONG que fica localizada no extremo leste de São Paulo, e com isso pude exercer o empreendedorismo social diretamente todos os dias, entendendo e construindo soluções em parceria com os moradores.  Após observar as exclusões sociais que o sistema de saúde está exposto deixando a população refén até da boa vontade dos farmacêuticos e médicos, surge a ideia de criar um aplicativo para traduzir receitas e guias médicas - você fotografa a receita ou guia com o celular e a inteligência artificial digitaliza e também transforma em áudio, para levar acessibilidade às pessoas que não sabem ler ou possuem alguma dificuldade de visão. Foi nesse momento que a Clinfy nasceu.  

Enjoy.JPG
Logo Enjoy

Enjoy 

EMPREENDEDORES: Joyce Izauri de Jesus e Robert José Placides Pereira

RESUMO DE SOLUÇÃO: Fundada em 2018 por Joyce Izauri de Jesus e Robert Pereira, a Enjoy Alimentação Orgânica é um delivery de alimentos orgânicos previamente selecionados pelos consumidores – prioritariamente, moradores das periferias – e enviados semanalmente a suas casas. Ou seja, o alimento não passa pelas prateleiras, o que evita o desperdício. A empresa surgiu da observação do cotidiano de parentes de Joyce, residentes em Minas Gerais. “Eles produzem 75% dos alimentos que consomem. Eu uni essa experiência com a de moradora da periferia de São Paulo e decidi empreender em benefício da própria comunidade”, detalha a empreendedora. A empresa comercializa a produção local e orgânica do bairro Parelheiros – que, antes, era destinada a bairros de elite de São Paulo. Atua para que a produção seja vendida no próprio bairro e com trocas de mudas orgânicas, experiências gastronômicas, oficinas de compostagem e criação de hortas. “Comercializamos a produção local e orgânica que, antes do negócio, costumava abastecer as feiras especializadas de bairros nobres de São Paulo. Hoje, a produção começa a fluir aqui mesmo, em Parelheiros, onde antes quase não havia comercialização de alimentos orgânicos para população”, conta Joyce.

MINI PERFIL: 

Joyce Izauri de Jesus

 

Pra mim empreender foi uma virada de chave. Tudo em que eu não havia parado para pensar, tudo que eu não sabia que queria, veio de uma vez quando meu filho nasceu. Em contraponto, 1 mês após o fim da licença maternidade fui demitida, e só conseguia pensar que eu quero fazer algo, que me faça sentir parte da construção do futuro.

 

Robert José Placides Pereira

 

Acho que como a maioria das pessoas, eu sempre tive o sonho de ter meu próprio negócio. E depois de mais de 20 anos de trabalho com carteira assinada e completa insatisfação com o mercado de trabalho, dei o salto de fé de mãos dadas com a Joy. E apesar de hoje trabalharmos mais, temos o privilégio de fazer o que gostamos. Ouso dizer que empreender me fez uma pessoa melhor, pois ao trabalhar com impacto sócio-ambiental, passa-se a olhar o mundo com outros olhos.

HOTD.JPG
Logo-HOTD

 

HOTD

EMPREENDEDORES: Carlos Alberto Silva e Andria M.S Silva

RESUMO DE SOLUÇÃO: Criado por Carlos Alberto Silva em 2017, a Have Options to Dress (HOTD) é uma startup que visa reinventar a forma como as pessoas utilizam as roupas. Funciona como um guarda-roupa virtual de consumo compartilhado; com um plano de assinatura, oferece 12 roupas diferentes por mês. A proposta é ser disruptivo em um mercado tradicional, oferecendo um modelo de consumo mais sustentável e inclusivo que emerge da periferia de Itaquera para ganhar o mundo.

MINI PERFIL: 

Carlos Alberto Silva

 

Carlos é de Itaquera na zona leste de São Paulo, de família humilde sempre estudou em escola pública, o que não o impediu de entrar em uma universidade Federal e se formar em Economia. Atuou profissionalmente como consultor empresarial e largou um cargo executivo em uma multinacional para empreender, o que sempre foi o seu sonho.

 

Andria Micaele dos Santos Silva

 

Andria é de itaquera na Zona leste de São paulo, trabalhou por mais de 8 anos com varejo de moda no centro da penha. Com seu trabalho conseguiu se formar em Recursos Humanos. Com o surgimento da oportunidade de empreender hoje ela se dedica em tempo integral a HOTD.

Jaubra.JPG
logo-jaubra

Jaubra

EMPREENDEDOR: Aline Landim de Sousa Silva e Alvimar da Silva

RESUMO DE SOLUÇÃO:  A comunidade da Brasilândia, em São Paulo, enfrenta a falta de oferta de transporte privado na região, já que os serviços tradicionais muitas vezes se recusam a circular dentro de algumas áreas da cidade. Foi observando os desafios da mobilidade no bairro e a necessidade de gerar empregos para os motoristas que Alvimar Silva e a filha Aline Silva criaram a JAUBRA, plataforma de transporte que atende as periferias e as regiões que são consideradas “de risco” por outros aplicativos. A iniciativa – que trabalha com uma taxa competitiva, em comparação a outros aplicativos similares – também oferece a opção de corridas compartilhadas, o que otimiza as locomoções de um ponto a outro. Com isso, os moradores passaram a ter mais mobilidade, conforto e segurança para se deslocarem em qualquer horário. Fundada em 2017, o negócio de impacto social conta, hoje, com 50 motoristas cadastrados e atende cerca de 3 mil chamadas por mês.

MINI PERFIL: Alvimar Da Silva ex- motorista de aplicativo,  enxergou a deficiência de mobilidade urbana quando as grandes empresas de aplicativos deixou de atender seu bairro e criou a Jaubra junto com sua filha Aline Landim que levou a tecnologia para a empresa e juntos estão levando igualdade para os moradores da Brasilândia.

Kitanda das minas.JPG
Logo kitanda das minas

Kitanda das Minas 

EMPREENDEDOR: Priscila Aparecida Novaes

RESUMO DE SOLUÇÃO:  Negócio de impacto social voltado à inclusão de mulheres negras e imigrantes africanas no segmento de alimentação, hospitalidade, cultura e lazer, o Kitanda das Minas foi fundado em 2015 por Priscila Aparecida Novaes. A empresa oferece serviço de alimentação – um afrobuffet – para empresas interessadas em transformar a contratação em ação de responsabilidade social.

MINI PERFIL: 

Priscila Novaes, pesquisadora, cozinheira e produtora cultural. Formou-se em Técnica em Cozinha pela ETEC Camargo Aranha. Graduanda em Gestão Empresarial pela Faculdade de Tecnologia – FATEC Mauá.

Fundadora do Coletivo Mulheres de Orí onde lida com as questões voltadas ao desenvolvimento econômico das mulheres e o enfrentamento a violência doméstica.

Proprietária da Kitanda das Minas, empreendimento que utiliza a gastronomia afro-brasileira como instrumento para o empoderamento feminino.

Como pesquisadora, investiga a trajetória de vida das mulheres negras que adotaram como estratégia de sobrevivência a arte de produzir e comercializar alimentos, estudo que deu origem ao livro “Ajeum – O Sabor das Deusas” que aborda temas como religiosidade, comércio de rua e patrimônio imaterial brasileiro.

LiteraRua Socios.jpg
logo_literarua

LiteraRua

EMPREENDEDOR: Toni Carlos Pereira  e Luciana Macedo 

RESUMO DE SOLUÇÃO:  Criada em 2012 por Toni Carlos Pereira, a LiteraRUA é um coletivo de autores e produtores de livros e soluções editoriais, formada por profissionais com larga experiência em produção cultural. A missão do negócio é dar voz a autores e artistas populares para a criação de produções culturais da periferia.

MINI PERFIL: 

Toni C.

Doce infância e o sabor das palavras

 

Eu era só mais um menino cheio de imaginação no meio de um monte de crianças e sonhos na vila.

 

Quando a gente ganhava algumas moedinhas, quase todas as crianças corriam pra venda da esquina e faziam aqueles metais redondos se transformarem em gostosuras ultra melados, voltavam com o prêmio derretendo na boca.

 

Eu, ia até a banca e fazia minhas moedinhas virar um gibi, não, não aquele doce de amendoim. Eram histórias em quadrinhos impressas em papel jornal onde eu na época só entendia as figuras. 

 

Ai veio a escola e pá! Arrancou esse meu gosto pela leitura como quem arranca um dente.

 

Anos depois foi o Rap que enfiou o dedo na minha cara e disse: "Ou você mergulha de cabeça nos livros para se salvar ou vai morrer afogado na ignorância.".

 

Três décadas depois aquele menino guloso que comprava HQ sem saber ler, contorna o mundo com uma biblioteca nas costas.

 

Se tornou um traficante de informação.

 

Com uma editora que processa, uma livraria on-line e física que vende, e biqueiras literárias espalhadas em pontos estratégicos para facilitar o consumo. 

 

Com seu time aguerrido pela palavra, não passa um só dia sem comercializar algum título que fará a cabeça de alguém.

 

Fazendo assim de seu sonho a forma de ganhar suas moedinhas.

 

Essa é a minha história.

 

Essa é a LiteraRUA!

Luciana Macedo 

Como moradora de Carapicuíba criei o hábito da leitura na condução, indo e
vindo do trabalho pois trabalhava no Brás e em duas horas de condução
encontrava tempo para a leitura.


No caminho na estação Barra Funda havia uma livraria onde eu comprava
meus livros, eu achava caro e muitas vezes fiquei endividada por conta de
adquiri-los ali, mas como estava no caminho do trabalho, entre a baldeação
trem-metrô facilitava a aquisição de novos títulos.


Conheci a LiteraRUA desde o nascimento, e atuava mais como apoiadora do
projeto, em uma de minhas férias do meu antigo emprego fui dar uma ajuda na
emissão de Notas Fiscais e cobranças com as livrarias até que então me
convidei para somar força junto ao empreendimento. Cheguei, fui ficando e
fiquei de vez.


Foi então que comecei a entender o mercado editorial e como disse
anteriormente eu achava os livros caros hoje já tenho outra percepção, pois
conheço o mecanismo de produção que exige bastante de toda uma equipe e
além disso um livro com cuidados básicos podem durar por uma vida.
Atua há mais de dois anos de maneira integral como secretária administrativa e
coordenadora de projetos, sou promotora de vendas em feiras e eventos.
Nas horas de folgas sou mãe da Giovanna e do Vinicius.

Meninos das bilings.JPG
Logo meninos das bilings

Meninos da Billings

EMPREENDEDOR: Adolfo souza Duarte

RESUMO DE SOLUÇÃO:  Operadora de turismo náutico, a Meninos da Billings atua na represa Billings e Guarapiranga com experiências com pescadores e instrutores da comunidade do Grajaú. Criada por Adolfo Souza Duarte em 2016, tem por objetivo construir um polo de remo (canoas e caiaques) coletivo para ampliação de renda local.

MINI PERFIL: 

Rogério Pereira Nunes

Nasceu em 8 de junho de 1978 no Grajaú, é professor na rede pública, vocalista  na banda Teorema do Resto e colaborador na NIP Menin@s da Billings.

Trabalhou com Micro Crédito onde conheceu Muhammad Yunus, Prêmio Nobel 2006.

Conheceu Adolfo e juntos pensaram uma forma de unir em um único projeto, educação, esporte e meio ambiente.

Ferruge - Adolfo Souza Duarte.

 

Nasceu em 1981 é Dj e iluminador, foi professor na rede pública,  Coordenador de Projetos Culturais no CEU Navegantes e fundador do NIP Menin@s da Billings, em 2013 conheceu Rogério e um time de parceiros que juntos pensaram em formas de unir Educação, Esporte e meio Ambiente em uma única Experiência.

Recifavela.JPG
Logo Recifavela

Recifavela 

EMPREENDEDOR: Cristiano Gonçalves Cardoso e Josiemere Nacimento 

RESUMO DE SOLUÇÃO:  

 A Cooperativa de Materiais Recicláveis Recifavela existe há 11 anos, e atualmente conta com 32 cooperados que executam o trabalho de separação dos materiais recicláveis com grande dedicação ao meio ambiente e também com a questão social e econômica dos mesmos. Temos como foco principal a redução de resíduos sólidos na cidade, evitando que o material vá para lixões e/ou aterro sanitários.

MINI PERFIL: 

Cristiano Gonçalves Cardoso

 

O ex-camelô Cristiano Gonçalves Cardoso fundou, em 2007, uma cooperativa de materiais recicláveis com o desejo de mudança. O sonho era de reunir cidadãos da Favela Vila Prudente – uma das comunidades mais antigas da cidade de São Paulo. Hoje, a Recifavela conta com 32 cooperados que separam materiais recicláveis com grande dedicação e profundo respeito ao meio ambiente. Entre os impactos sociais – além da geração de emprego e renda, sendo que cada cooperado pode ganhar até R$ 3 mil mensais – a separação dos resíduos sólidos promove o descarte correto, evitando que esse material vá parar em lixões e aterros sanitários. O empreendedor idealizou uma loja virtual que funciona no site da cooperativa e vende produtos recicláveis com a marca da entidade. Uma das realizações recentes é a parceria com o Banco Maré, da Favela da Maré no Rio de Janeiro, que permite realizar e receber pagamentos em cripto moeda virtual, gerando um terceiro impacto: a circulação do dinheiro dentro da comunidade.

Josimeire do Nascimento

 

Minha história começou em 2005 quando eu e outros jovens, fomos convidados a irmos para a Jornada Mundial da Alemanha em um encontro com o Papa, quando retornamos, logo eu e o grupo fomos para um curso de sustentabilidade na PUC e ao término o Pe. Patrick Clark nos cobrou uma contrapartida. Queríamos muito trabalhar com artesanato, porém, os catadores que trabalhavam debaixo do Viaduto da grande São Paulo estavam para serem despejados e então houve a ideia de juntarmos os catadores e os jovens da igreja.

Permaneci por pouco tempo (por conta da pressão familiar)e fui trabalhar em uma empresa privada.

Em 2006 fui convidada pelo Cristiano (Presidente) e a Lilian (Financeiro)a voltar para a Recifavela, então, pedi as contas no meu serviço e retornei.

Hoje, eu e nossa equipe estamos engajados e com o foco de que além de sermos uma cooperativa é preciso pensarmos como empresa.

Silvana Truccs.JPG

Silvana Trucss

EMPREENDEDOR: Silvana Bento Silva

RESUMO DE SOLUÇÃO:  Fundada por Silvana Aparecida Bento Silva, em 2016, a marca de moda praia e lingerie criou uma calcinha em formato de funil para mulheres trans. O produto patenteado da grife Silvana Trucss proporciona dignidade, bem-estar e prevenção à saúde. De acordo com a empreendedora, o Sistema Único de Saúde (SUS) atende inúmeros casos de pacientes LGBT+ que chegam à emergência com problemas causados pela aplicação inadequada de colas e fitas adesivas usadas para esconder o pênis, por não terem acesso a outras soluções para seu dia a dia.

MINI PERFIL: 

Silvana é formada no Magistério e trabalhou em creches conveniadas até decidir ir para a área da saúde e se formar no curso Técnico  de Hemoterapia pelo Senac em 2008. A partir daí começou a trabalhar em Hospitais particulares de São Paulo (banco de sangue), e foi percebendo a quantidade de mulheres trans realizando cirurgia nos rins relatando que devido a segurar a urina por muito tempo por permanecerem aquendadas “Ato de esconder o pênis para trás. Muito utilizado pelas mulheres trans e drag-queens.” por várias horas/dias pode ocasionar infecções de pele, de urina e nos rins.

Daí que veio o estalo de criar uma peça que permitisse às mulheres a ficarem com púbis reto e usar o banheiro quando necessário. Silvana patenteou o Suporte Trucss em setembro de 2016 e desde então vem alavancando a Marca.